FAGUNDES VARELLA

A Um Juiz

Juiz casado de novo
Anda cheio de embaraço:
Deixou em casa o cabaço,
Não pode servir o povo.

Para no júri julgar,
Nem mesmo apertando as bragas,
Gritando, lançando pragas,
Nada quer ver, quer voltar

Pois vá-se e venha bem,
Que aqui não sente ninguém
Da tua ausência o pesar.

Vai-te embora, ruim diabo,
Esfrega bem esse rabo
Que lá deixaste a babar.
Fagundes Varella
1841-1875

Soneto feito e enviado por Fagunde Varella a um Juiz interino de sua terra, Rio Claro. Para que não se diga que o poeta foi apenas um romântico chorão, um bebum vagabundo, mas também um homem preocupado com a situação social e polítca de sua época.  Já em Anchieta ou o Evangelo na Selvas, Fagundes Varella demonstra esta precupação. Poema onde se percebe que ele  domina a técnica,  embora não tenha tenha alcançado sobre o tema a mesma altura de  sua técnica.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: